Imprimir

A trajetória na Terra de um homem e sua Lua

A Lua sempre atraiu a atenção do homem, e esse interesse ficou registrado na poesia, na literatura, no cinema… Há quase 150 anos, na obra de ficção  “De la Terre à la Lune”  (1865), Júlio Verne escreve sobre um grupo de homens que viaja até a Lua usando um gigantesco canhão. Na França, Georges Melies foi um dos pioneiros do cinema, e em seu filme “Le voyage dans la Lune” (1902) acabou criando um dos primeiros filmes de ficção científica em que descrevia uma incrível viagem à Lua.

Na ciência, a “Corrida Espacial”, empreendida pela extinta União Soviética e os Estados Unidos em meados do século passado, tem a Lua como uma de suas principais personagens. O primeiro ser vivo no espaço não foi um homem, mas a cadela russa Laika. Ela viajou fora da terra em 3 de novembro de 1957 a bordo da nave Sputnik 2. Doze anos depois, marcados pela disputa entre os dois países, a missão Apollo 11 pousou na superfície da Lua, em 20 de Julho de 1969, levando a bordo os norte-americanos Neil Armstrong e Edwin Aldrin, os primeiros homens a pisar em solo lunar.

Perto de toda a epopeia humana ao redor da Lua, o projeto Private Moon, do russo Leonid Tishkov, pode até parecer um ato ingênuo. Mas, uma coisa é certa: a homenagem do artista ao brilho lunar nos conduz a uma fantasia poética encantadora. A ideia de Leonid é viajar a diversas partes do mundo, criando diferentes cenários com sua Lua – feita com luz Neon em seu estágio crescente. Private Moon já esteve em países como Nova Zelândia, Áustria, França, Ucrânia, Itália, além das terras geladas do Ártico. A última viagem lunaticamente poética de Leonid foi a China. O aviso ‘art in progress’ na página inicial do site do artista indica que ainda há muitos destinos terrestres no roteiro deste homem com sua lua.

 

Ártico

 

China

 

Nova Zelândia

 

Ucrânia

 

Itália

 

China

 

Moscou

 

Confira mais do trabalho de Leonid Tishkov aqui.

{lang: 'pt-BR'}

Deixar uma resposta

-->