Imprimir

Os incríveis fenômenos naturais

A Natureza é mesmo surpreendente. Todos os exemplos de lugares extraordinários selecionados abaixo (há muito mais, sabemos disso) poderiam figurar um filme fantástico, destes em que tudo é pura imaginação. Mas não é. São todos de verdade, existem e sem photoshop. Confira:

As bolhas congeladas do Abraham Lake – Canadá

Abraham Lake é um lago artificial no rio North Saskatchewan, no oeste de Alberta, no Canadá. O lago foi criado em 1972, com a construção da barragem de Bighorn. O fenômeno que o lago abriga, entretanto, é totalmente natural. As bolhas de ar se congelam logo abaixo da sua superfície. Elas são muitas vezes chamadas de bolhas de gelo ou bolhas congeladas. Isso fez com que o lago ficasse famoso entre os fotógrafos. O fotógrafo Fikret Onal explica o fenômeno: “As plantas no fundo do lago liberam , após sua morte, o gás metano, formando bolhas que ao se aproximarem da superfície, congelam.” A medida que o lago vai ficando mais frio , o congelamento ocorre mais abaixo, formando as camadas de bolhas.

A caverna de cristais gigantes de Naica – México

A Caverna dos Cristais Gigantes de Naica está localizada numa área de exploração mineral, no estado de Chihuahua ao norte de México. O complexo mineiro de Naica contém alguns dos maiores depósitos mundiais de prata, zinco e chumbo. Lá foram achados os maiores cristais naturais de selenita do mundo, que chegam a ter mais de 10 metros de extensão. A caverna fica a 300m de profundidade, tem dimensões aproximadas de 10x30m e o maior cristal tem 11 metros de comprimento, 4 metros de diâmetro e pesa cerca de 55 toneladas. A temperatura chega aos 50 graus e a umidade do ar é de 100%. Um ser humano só pode permanecer neste ambiente por cerca de 6 a 10 minutos, antes que ocorra uma perda severa das funções mentais. Por isso, não é possível transformar esta descoberta numa atração turística. Para conseguir as imagens, a equipe da BBC teve que usar uma roupa onde podiam ser armazenados cubos de gelo, além de uma máscara que fornecia ar fresco e seco.

Bioluminescência em Vaadhoo, uma das ilhas Raa Atoll, nas Maldivas

Pode parecer algo feito no Photoshop, mas este efeito neon azul impressionante é um fenômeno completamente natural. Esta incrível imagem foi capturada pelo fotógrafo Doug Perrine durante uma visita a Vaadhoo, uma das ilhas Raa Atoll, nas Maldivas. O fenômeno é chamado bioluminescência, que ocorre quando um microrganismo na água entra em contato com o oxigénio. Pura química.

Salar de Uyuni – Bolívia

O Salar de Uyuni é a maior planície salgada do mundo. Está localizado no Departamento de Potosí e no Departamento de Oruro, no sudoeste da Bolívia, no altiplano andino, a 3.650m de altitude. O Salar de Uyuni tem aproximadamente 12.000 km² de área, ou seja, é maior que o lago Titicaca, situado na fronteira entre o Peru e a Bolívia e que apresenta aproximadamente 8.300 km². Estima-se que o Salar de Uyuni contenha 10 bilhões de toneladas de sal, das quais menos de 25.000 são extraídas anualmente. Além da extração de sal, o salar também é um importante destino turístico. Seus principais pontos de visitação são o hotel de sal, desativado, e a Ilha do Pescado, com suas formações de recife e os cactos de até 10 metros de altura. É justamente a exposição dos cristais à luz do sol (ou da lua) que cria esta estonteante visão de espelho, formando uma paisagem surreal, mas existente.

Eucaliptos Arco-iris – Floresta de Maui – Hawaii

O eucalipto arco-íris ou Rainbow Eucalyptus (Eucalyptus deglupta) é uma árvore de tronco colorido, único representante da família dos eucaliptos. Essa magnífica árvore pode chegar até 75 metros de altura e não há pessoa que não se encante com o efeito de suas cores. Cresce na floresta de Maui, no Havaí e as cores de sua casca são eliminadas em diferentes momentos: primeiramente um verde brilhante se destaca, depois escurece e amadurece para dar tons de azul, roxo, laranja e marrom. Atualmente, a Rainbow Eucalyptus é cultivada em plantações e usada na fabricação de papel nas Filipinas.

Cachoeiras de Sangue – Antártica

Cachoeiras de sangue (Blood Falls, em inglês) é o nome dado a uma escorrência de água salgada colorida por óxido de ferro, na extremidade da geleira de Taylor e que dispersa sobre a superfície do lago Bonney, nos vales secos de McMurdo. Óxidos de ferro hidratados depositam-se sobre o gelo. Os iões ferrosos estão dissolvidos em água salgada de uma antiga “bolsa” do Oceano Antártico, formada quando um fiorde foi bloqueado por um glaciar há cerca de 2,5 milhões de anos. Como resultado, desenvolveu-se um raro ecossistema subglacial de bactérias autotróficas que metabolizam os iões férrico e sulfato, o que se converte neste líquido que brota das geleiras, parecido com o sangue humano.

Floresta submersa – Lago Kaindy, Cazaquistão

Na região próxima a cidade de Almaty, no Cazaquistão está o lago Kaindy, numa linda paisagem entre as montanhas. O lago foi formado após um grande terremoto ocorrido em 1911 que provocou um grande deslizamento de parte de uma das encostas e criou um dique natural. Posteriormente, a água das chuvas encheram o vale, formando o lago Kaindy. A água inundou a floresta original, formada em sua maior parte por pinheiros, criando um cenário único, com os troncos emergindo por toda a área do lago. Mais surpreendente ainda, são as imagens submersas. Devido à composição e à baixa temperatura da água, em torno de 6 graus mesmo no verão, as árvores não entraram em decomposição permanecendo como uma floresta intacta.

Mais fenômenos naturais surpreendentes aqui.

{lang: 'pt-BR'}

Deixar uma resposta

-->